Manutenção automotiva: 7 dicas para prevenção

Em primeiro lugar, a manutenção automotiva não costuma ser tão complicada como muitos dizem por aí.

Portanto, saiba que qualquer pessoa com certo conhecimento pode avaliar todos os componentes que se encontram nele e notar qualquer irregularidade. 

Por isso, ao se falar da manutenção automotiva, a prevenção é uma grande cúmplice, fazendo com que custos com oficinas sejam reduzidos.  

Existem cuidados e posturas que podem ser tomadas para preservar um veículo por mais tempo e garantir menos gastos com uma assistência.

Continue a leitura e conheça quais são esses itens e como passar a analisar cada um deles na sua manutenção automotiva. 

Faça uma revisão regularmente nas rodas e pneus do automóvel

Geralmente os pneus de um veículo são os itens mais preocupantes, já que não são muito baratos e por estarem sempre expostos ao desgaste. 

Para impedir que ele aconteça, é importante manter os pneus sempre cheios, além de estar com a calibragem em dia, podendo verificar a cada 15 dias. 

Ainda, fique atento ao valor indicado que se encontra no manual do veículo, em uma das portas, ou no tanque do mesmo.

Outra dica importante é não exceder o peso do veículo, pois assim você consegue evitar que o motor se esforce mais e aumenta a vida útil dos pneus. 

Não deixe de observar a indicação específica de pneus para o automóvel, as informações ficam impressas no corpo do pneu e são importantes para a manutenção.

Já para as rodas, o alinhamento e balanceamento deve ser feito a cada 10 mil quilômetros percorridos. 

Portanto. essa é outra alternativa para evitar desgastes desiguais nos pneus. 

Tenha cautela com os freios do automóvel 

Não freie bruscamente, pois saiba que isso compromete o uso de todo o sistema de freios do veículo e pode resultar na necessidade de uma manutenção automotiva séria.

Confira mensalmente o líquido de freio e garanta que vazamentos não estejam acontecendo nos sistemas das bombas ou até mesmo no encanamento. 

Observe a bateria 

Veja se os cabos não estão danificados e se certifique de que eles estejam bem presos aos contatos.

Se notar algum tipo de corrosão, você pode fazer uma limpeza com uma escova de aço. 

Rotinas como essa, simples e de baixo custo, ajudam para que grandes intervenções não aconteçam, assim como a falta de manutenção.

Preste atenção no sistema de arrefecimento

Tenha atenção quanto ao reservatório de água com o objetivo de ver alguma irregularidade ou vazamento na superfície. 

Caso exista alguma alteração, faça o abastecimento. E se notar que isso tem acontecido com frequência, procure um mecânico para uma verificação. 

Tenha conhecimento que o radiador precisa ser mantido com o reservatório preenchido sempre na medida certa.

Ainda, o líquido deve ser de arrefecimento próprio, possibilitando que o motor possa trabalhar na temperatura correta.

Troque os filtros de ar e combustível, além das velas de ignição

Utilize o manual do automóvel e veja o tipo de óleo, prazos e quilometragem específica indicada para a troca de óleo e troca dos filtros de ar. 

Esse filtro também precisa passar por manutenções e trocar de forma regular. Tentar mantê-lo em bom estado pode ser uma boa alternativa. 

Dessa forma seu desgaste diminui e a entrada de impurezas no sistema de combustão do veículo pode não acontecer. 

Trocar o filtro de combustível e as velas de ignição também pode reduzir maiores desgastes e evitar a acumulação de impurezas.

Revise as palhetas dos limpadores de para-brisa 

Normalmente as pessoas se lembram das palhetas dos limpadores de para-brisa apenas em condições de chuva, quando surgem rangidos ou ineficiências na limpeza.

O item que mais apresenta desgaste quando falamos no conjunto de limpadores é a borracha, e geralmente ela deve ser trocada em cerca de três ou quatro meses. 

Dependendo das condições do seu uso, onde por exemplo um automóvel fica exposto sob a luz do sol, essas palhetas podem desgastar com maior facilidade. 

Agora, ao ficar em uma garagem fechada, elas podem sofrer um menor desgaste e permanecerem ainda em um maior tempo de uso. 

Por isso, ao usar os limpadores, não deixe de observar e revisar as condições do mesmo. 

Analise o óleo do motor e as correias 

Por exemplo, para não precisar de uma manutenção automotiva séria, tenha atenção quanto às correias que estão no alternador, na direção hidráulica, no ventilador e no ar condicionado. 

Verifique se não existe a diminuição nas espessuras ou um possível surgimento de rachaduras. Caso isso seja encontrado, sua troca é realmente necessária. 

Por fim, busque também fazer a troca regular do lubrificante do motor em no máximo a cada 10 mil quilômetros. 

Entretanto, se em 1 ano você não ultrapasse essa quilometragem, é importante fazer a troca da mesma forma. 

Saiba que o óleo tem validade já que as impurezas que ele absorve ao longo do tempo ficam presentes. 

Após ficar por dentro de todas as dicas acima, não deixe de aplicá-las nos seus veículos e conferi-las nesse conteúdo sempre que necessário. 
Se tiver dúvidas sobre como garantir que as melhores decisões estão sendo tomadas para a sua locadora de veículos, fale com um de nossos consultores clicando aqui.

Postado em Contabilidade, Financeiro