Energia para carros elétricos

A energia para os carros elétricos.

O carro elétrico está ganhando cada vez mais espaço entre nós, e a tendência é que nos próximos anos ele domine o mercado e substitua o veículo tradicional de uma vez por todas. 

Como um automóvel sustentável e econômico, ele também é uma boa oportunidade rentável que já vem transformando a mobilidade. 

Ainda, sabemos que o que move o carro elétrico é a eletricidade, mas você conhece a fonte de energia dessa nova forma de se locomover? 

Continue a leitura e conheça a energia para os carros elétricos no Brasil e tudo o que ela tem para oferecer. 

Carro elétrico envolve sustentabilidade 

Não é de hoje que observamos o trânsito e seus poluentes nas grandes metrópoles do país. 

Em uma pesquisa realizada pelo IEMA (Instituto de Energia e Meio Ambiente), na cidade de São Paulo os automóveis são responsáveis pela emissão de 72,6% de gás carbônico.

Já os carros elétricos são com toda certeza melhores com relação à sustentabilidade, onde sua emissão de gases poluentes é zero. 

Além disso, são veículos silenciosos, econômicos, e não há gastos com manutenções específicas.

Por esse motivo, as montadoras de automóvel estão apostando e investindo cada vez mais na sustentabilidade para os seus veículos. 

Qual a fonte de energia do carro elétrico? 

Hoje em dia, o lítio é um elemento imprescindível na indústria mundial e na produção de bateria dos carros elétricos.

Por outro lado, esse item simboliza o maior custo para a produção desses automóveis. 

A bateria feita de íon de lítio é a fonte de energia do carro elétrico e dura em média oito anos ou de 3 mil a 5 mil ciclos. 

Vale lembrar que cada ciclo significa uma carga e descarga completa. Sendo o próprio tempo de garantia que as montadoras oferecem. 

Dessa forma, a redução do poder de armazenamento de energia acontece e a bateria passa a trabalhar com cerca de 80% de sua capacidade de carga. 

Essa informação é parecida com as baterias dos celulares, que ajudaram de forma válida a impulsionar as pesquisas sobre as unidades dos carros elétricos.

Apesar disso, as indústrias estão estudando outros materiais que possam contribuir, assim como o lítio, para a fabricação das baterias dos veículos elétricos. 

Como acontece o descarte dessa bateria feita de lítio? 

Essa é uma das principais discussões sobre a bateria do veículo elétrico, o seu descarte após a sua vida útil. 

Nesse sentido, o mercado está se preparando para atuar nessa área, não deixando que os elementos químicos prejudiquem o meio ambiente. 

Como um primeiro ponto, a reciclagem vai evitar que os materiais mais perigosos entrem no fluxo de outros resíduos que são descartados. 

Por outro lado, essas baterias não precisam ser obrigatoriamente descartadas. Hoje, existem outros tipos de destinação para elas. 

Ao invés do descarte, essas mesmas baterias podem ser uma opção de armazenamento de energia renovável em prédios, escolas, hospitais e em sistemas caseiros. 

Um exemplo prático aconteceu na Inglaterra, onde a marca Renault produziu 50 unidades do equipamento reparado e ofertou a residências que usam os conhecidos painéis solares. 

Além disso, os engenheiros da montadora acreditam que com essa nova possibilidade de utilização, as baterias durem mais dez anos. 

Por fim, outro exemplo é a fabricante Tesla, que compartilhou que irá usar as baterias para abastecer de energia sua Gigafactory.

A Gigafactory é a fábrica de componentes e baterias de íon-lítio, onde estão planejando ainda reciclar as células consumidas. 

Quais são os tipos de negócio?

A principal dificuldade da bateria de estado sólido nos dias de hoje é o custo. 

Por isso, a popularização dos veículos elétricos está totalmente ligada ao barateamento da sua principal fonte de energia.

O lítio está presente em diversos meios que abrangem o desenvolvimento da bateria do carro elétrico, sendo ele vital para as mesmas. 

Ainda, se o material for trabalhado fora de sua faixa de segurança, ele pode apressar uma reação de aumento de temperatura. 

Portanto, uma bateria de alta densidade de energia e totalmente segura seria o melhor dos mundos. 

Ao mesmo tempo em que novas tecnologias estão sendo estudadas, as montadoras estão dependentes das gigantes, como LG, Samsung e Panasonic. 

Mesmo assim, elas estão se dedicando no desenvolvimento de bateria dos próprios veículos. 

Em 2020, o grupo da Peugeot-Citroën (PSA) juntamente com a Fiat-Chrysler (FCA) firmou uma parceria com a Total/Saft para criar a Automotive Cells Company, empresa criada para a produção de baterias para os carros elétricos. 

Concluindo, podemos dizer que aqui seriam dois modelos de negócio. 

Ou os fabricantes dos veículos elétricos buscam parcerias com empresas especializadas em baterias, ou compram das mesmas células e módulos com as características necessárias para montar a própria bateria. 

Agora você já sabe mais sobre a principal fonte de energia para os carros elétricos no Brasil, suas características e como ela pode ser reaproveitada após seus anos de uso. 

Para saber mais sobre os carros elétricos, basta clicar aqui e acompanhar em nossos conteúdos tudo sobre esse novo universo. 

Postado em Empreendedorismo, Financeiro