Franchising e Franquias: Abrindo uma empresa já pronta

Você já deve ter visto várias marcas de locadoras de veículos franqueadas espalhadas por aí, certo?

Podemos citar alguns dos principais exemplos: Localiza, Unidas, Movida, Hertz, AVIS, dentre vários outros…

Apesar de na maioria das vezes os empresários buscarem o desenvolvimento de suas empresas, seus produtos ou serviços a partir do zero, abrir um negócio franqueado vem ganhando forças.

franquias-como-escolher

Os modelos de negócio de algumas franquias são inovadores e é uma ótima oportunidade para quem quer conquistar o mundo empresarial.

Até mesmo porque há mais facilidade em vender uma marca já bem estabelecida no mercado, do que arriscar no desenvolvimento de uma nova.

Então para te mostrar que as franquias são bons negócios hoje em dia, iremos falar sobre algumas estratégias e práticas de franchising.

E além de tudo, também iremos ajudar você a estruturar a sua rede de franquias de forma otimizada.

Vamos lá!

 

As franquias ou franchising

franchising consiste em uma estratégia de mercado, na qual um investidor pode aplicar seus recursos de forma mais segura.

O negócio franqueado já estará instituído, padronizado e oportunizará o menor – ou nulo – esforço quanto ao desenvolvimento da marca, produtos ou serviços.

Ou seja, o franqueado, que é aquele que detém o direito de uso da marca, poderá abrir a sua empresa aplicando muito menos riscos.

Franquias

franchising é regida pela nomeada “Lei das Franquias”, a lei nº 8.955/1994.

E apesar de não haver definição única para franquia, podemos dizer que basicamente é um sistema no qual uma empresa já desenvolvida e estabelecida cede o direito de uso da marca ou patente à outro, por meio de remuneração direta ou indireta, assim, não caracterizando o vínculo empregatício.

LEIA  Novo blog orienta motoristas de aplicativos

Com isso podemos dividir o sistema de franquias entre dois participantes: O franqueador e o franqueado, como já mencionado.

franqueador é a pessoa jurídica que cede o direito do uso de sua marca para outra pessoa (física ou jurídica), o franqueado.

O franqueado, por sua vez, somente terá a possibilidade em usar a marca do franqueador, mediante ao pagamento de valores acordado via contrato.

Existem alguns tipos de remuneração que devem ser feitas pelo franqueado ao franqueador.

O primeiro valor é o da Taxa de Franquia (“franchising fee” ou taxa inicial), que se trata de um valor único, referente a adesão ao sistema de franquia.

Em segundo temos os Royalties, que são remunerações periódicas pagas ao franqueador pelo uso da marca.

A Taxa de Franquia é a primeira taxa paga ao franqueador, para que o franqueado ingresse na rede.

E os Royalties correspondem, em sua maioria, a um percentual sobre o faturamento bruto da unidade franqueada, que pode girar em torno de 5% a 10% desse valor.

Outro valor a ser pago aos franqueadores é referente ao Fundo de Propaganda, que é a quantia pertencente às ações de Publicidade e Marketing de toda a rede da franquia.

Neste caso, o franqueador é quem realiza a administração do referido fundo, mas periodicamente tem de prestar contas ao franqueado e este valor deverá ser repassado ao franqueador mensalmente.

A concessão do direito de uso da marca ou patente, por parte do franqueado, limita ao franqueador em utilizar a marca, assim como todo o sistema de distribuição, tecnologia e administração de negócio, determinando um padrão.

Mesmo limitado ao padrão de determinada franquia, não há impedimento legal para que o franqueador possa expor e até mesmo implantar novas ideias que agreguem valor ao negócio, a não ser que tais processos sejam previamente restringidos pelo franqueado e que se aplique a toda rede franqueada.

LEIA  Os processos de M&A estão a todo vapor no segmento de locação de veículos, sua empresa está pronta?

Confira algumas franquias de baixo custo para investir.

Um fator determinante para abertura de franquia é a formatação do COF (Circular de Oferta de Franquias) pelo franqueador ao franqueado.

Nesta documentação são formatadas todas as obrigações, tanto do franqueado, quanto do franqueador.

O franqueador tem o período de até 10 dias para enviar ao futuro franqueado a Circular de Oferta de Franquias (COF), antes da assinatura do pré-contrato, do contrato ou do pagamento de qualquer tipo de taxa.

O descumprimento do prazo para a entrega do documento pode levar à anulabilidade do contrato e à devolução das taxas pagas e royalties.

 

ABF – Associação Brasileira de Franchising.

A Associação Brasileira de Franchising promove a defesa de todo o sistema de franquias junto aos órgãos públicos, além de auxiliar no estabelecimento de padrões facilitadores para a prática da franchising e incentivar o desenvolvimento e aprimoramento das técnicas dos franqueadores e franqueados.

Atuante desde 1987, a Associação conta com mais 1.000 associados e está presente nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Além da ABF, o setor de franquias ainda conta com o auxílio da FIAF (Federación Iberoamericana de Franquicias), da Word Franchising Council e da IFA (International Franchising Associoation)

 

O mercado das franquias

O Estado de São Paulo é hoje o local mais visionado pelos franqueadores, possuindo mais da metade das franquias fixadas em território nacional, com a quota de 53,3%.

No ano de 2015 o setor de franquias teve o aumento de 4,5% em relação ao ano de 2014. E em 2015, o faturamento do setor de Franchising cresceu 8,3% em relação a 2014.

As redes franqueadoras se concentram mais pela região do Sudeste, que detém 71.4% das franquias, em seguida na região do Sul com 16.7%, depois o Nordeste com 7.4%, Centro-Oeste com 3.7% e o com apenas 0.8%, o Norte.

LEIA  Descubra quais erros podem ser evitados na gestão de frota de veículos

Recomendamos o acesso ao Portal do Franchising, para mais informações específicas sobre o tema.

Postado em EmpreendedorismoTagged , ,