Faça parte do grupo de grandes empresas que confiam na VERS Locadoras

Confira nossas soluções!
Em que podemos te ajudar?

CONTABILIDADE

Contribuir com o gerenciamento da frota, através da contabilização da depreciação fiscal e gerencial, proporcionando a apuração de um resultado societário condizente com a realidade da empresa.

TRIBUTÁRIO

Avaliar de forma eficiente os custos de manutenção corretiva e preventiva, afim de reduzir, de forma legal a base tributável da empresa.

CONTROLE E PLANEJAMENTO

Avaliar os contratos de empréstimo para a apropriação dos juros, de forma a impactar a apuração do resultado em seu tempo correto.

Atendemos em todo território nacional

Confira o que os nossos clientes
falam sobre nós!

  • “Contratei o serviço e fiquei surpreso com a qualidade do atendimento, a VERS sabe muito sobre o nosso segmento. Pessoal atencioso e pontual.”

    Junior
    Raja Rent Car
  • “Excelente empresa, recomendo a todos, pessoal muito atencioso e solicito. Era o parceiro que estávamos precisando, recomendo a todos e parabéns pela excelência.”

    Gustavo Penna
    Locarcity
+40 locadoras satisfeitas
+35 colaboradores
+95% de aprovação

Preparamos conteúdo específicos de contabilidade para Locadoras de Veículos

Confira e siga o nosso blog!

Qual sócio vai ficar com a maior parte do bolo? – Como tratar de igual para igual a tributação brasileira

Como tratar de igual para igual a tributação abusiva do Brasil

Leia mais
ramo de locadoras de veículos

CFO da Vers faz palestra para empresários do ramo de locadoras de veículos

Um evento especial é feito de pessoas especiais!  Nosso VP e CFO, Rodrigo Santana ministrou, ontem, 28 de março, uma apresentação exclusiva para os empresários do ramo de Locadoras de veículos, em Brasília/ DF. A palestra do nosso CFO foi parte de um evento promocional gratuito, promovido pela Sindloc-DF, ABLA, Bradesco Seguros e Nissan, com […]

Leia mais
Saiba por que a sua empresa precisa contratar um software de Gestão de veículos

Saiba porque a sua empresa precisa contratar um software de Gestão de Veículos!

Manter o controle de uma empresa é sempre um desafio, ainda mais se ela envolve uma frota. Porém, com um software de gestão de veículos você poderá ter uma otimização de sua rotina, e conseguirá um controle muito melhor do fluxo de trabalho! Esse tipo de software é cada vez mais comum em empresas de […]

Leia mais

Dúvidas frequentes

  • Há penalidade pelo não pagamento do SIMPLES NACIONAL?

    O não pagamento do DAS irá gerar multas e juros conforme Art. 38 da Resolução CGSN nº 94/2011, a responsabilidade é atribuída ao CNPJ da empresa negligente.

  • É possível baixar uma empresa do Simples Nacional com débitos ?

    Conforme o artigo 9º da LC 123/2006 as empresas ME ou EPP podem dar baixa nos seus atos constitutivos mesmo estando com dividas.

  • Nos casos de aposentadoria por invalidez é possível o saque do FGTS?

    Sim, conforme previsto no artigo 20 da Lei 8.036/1990 a conta do FGTS poderá ser movimentada nos casos de aposentadoria pela Previdência Social, inclusive nos casos de aposentadoria por invalidez. Para o saque o segurado deverá comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal munido de seus documentos pessoais, bem como da carta de concessão da aposentadoria.

  • O depósito do FGTS é devido nos casos em que o contrato de trabalho for considerado nulo?

    Sim, de acordo com o artigo 19-A da Lei 8.036/1990, é devido o depósito do FGTS na conta vinculada do trabalhador cujo contrato de trabalho seja declarado nulo nas hipóteses previstas no artigo 37, § 2o, da Constituição Federal, quando mantido o direito ao salário. Na redação do artigo 37, § 2o, da Constituição Federal, trata-se de emprego público. Melhor explicando da contratação para atender excepcional interesse da administração pública pelo sistema celetista.

  • Quais são as Demonstrações Contábeis que devem ser elaboradas pela Entidade sem finalidade de lucros?

    As demonstrações contábeis, que devem ser elaboradas pela entidade sem finalidade de lucros, são o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado do Período, a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido, a Demonstração dos Fluxos de Caixa e as Notas Explicativas, conforme previsto na NBC TG 26 ou na Seção 3 da NBC TG 1000, quando aplicável. No Balanço Patrimonial, a denominação da conta Capital deve ser substituída por Patrimônio Social, integrante do grupo Patrimônio Líquido. No Balanço Patrimonial e nas Demonstrações do Resultado do Período, das Mutações do Patrimônio Líquido e dos Fluxos de Caixa, as palavras lucro ou prejuízo devem ser substituídas por superávit ou déficit do período. Na Demonstração do Resultado do Período, devem ser destacadas as informações de gratuidade concedidas e serviços voluntários obtidos, e divulgadas em notas explicativas por tipo de atividade. Na Demonstração dos Fluxos de Caixa, as doações devem ser classificadas nos fluxos das atividades operacionais.

  • Qual a diferença entre ECD e ECF, são as mesmas obrigações, quem as entrega?

    São arquivos distintos, entregues separadamente. A ECD deverá ser transmitida, pelas pessoas jurídicas obrigadas a adotá-la, ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), instituído pelo Decreto n° 6.022, de 22 de janeiro de 2007, e será considerada válida após a confirmação de recebimento do arquivo que a contém e, quando for o caso, após a autenticação pelos órgãos de registro. Ficam obrigadas a adotar a ECD, nos termos do art. 2° do Decreto n° 6.022, de 2007, em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1° de janeiro de 2014: I – as pessoas jurídicas sujeitas à tributação do Imposto sobre a Renda com base no lucro real; II – as pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido, que distribuírem, a título de lucros, sem incidência do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF), parcela dos lucros ou dividendos superior ao valor da base de cálculo do Imposto, diminuída de todos os impostos e contribuições a que estiver sujeita; e III – as pessoas jurídicas imunes e isentas. A ECD será transmitida anualmente ao Sped até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração.

Veja todas as dúvidas frequentes >>

Nossos E-books

  • Guia definitivo de gestão financeira para locadoras de veículos

    Faça o download
Veja todos nossos e-books >>